03/02/2010:Cruzeiro 7x0 Real Potosi

quinta-feira, 23 de março de 2017



Cruzeiro 7x0 Real Potosi
Motivo: jogo de volta da primeira fase da Copa Santander Libertadores
Data: 03/02/2010 (quarta-feira)
Árbitro: Diego Hernán Abal (ARG)
Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte
Público: 36.574 pagantes
Renda: R$ 734.725,75
Gols: Marquinhos Paraná, aos 28 min., Thiago Ribeiro, aos 30 min., Kleber, aos 39 min., e Jonathan, aos 45 min. do 1º tempo; Eliandro, aos 42 min., Bernardo, aos 43 min., e Guerrón, aos 46 min. do 2º tempo
Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Gil, Leonardo Silva e Diego Renan; Elicarlos (Guerrón), Marquinhos Paraná e Henrique; Kleber (Eliandro), Thiago Ribeiro e Wellington Paulista (Bernardo)
Técnico: Adilson Batista
Real Potosí: Machado; Eguino, Ricaldi, Rodríguez e Galindo; Clavijo, Ortiz, Gutierrez e Argarañaz (Loayza); Yecerotte e Andaveris (Torres)
Técnico: Sergio Apaza
Cartões amarelos: Gutierrez (Real Potosí); Henrique (Cruzeiro)
Cartões vermelhos: Yecerotte e Galindo (Real Potosí)



Resumo
Com Kléber, que não acertou sua transferência para o Porto, formando o ataque ao lado de Wellington Paulista e Thiago Ribeiro, o Cruzeiro não teve dificuldades para confirmar sua classificação para o grupo 7 da Libertadores, ao golear o Real Potosí, por 7 a 0, na noite desta quarta-feira, no Mineirão. O esquema ofensivo adotado pelo técnico Adilson Batista foi recompensado pela vitória tranquila, sem sustos ou ameaças e com um grande número de gols, resultado bastante festejado pelo torcedor celeste.

PRINCIPAIS LANCES

PRIMEIRO TEMPO
28min - GOOOLLL DO CRUZEIRO!!! W. Paulista bate na saída do goleiro Machado, Marquinhos Paraná acompanha o lance e o árbitro lhe dá o gol
30 min - GOOOLLL DO CRUZEIRO!!! Thiago Ribeiro recebe passe de Wellington Paulista e coloca a bola nas redes do adversário
39min - GOOOLLL DO CRUZEIRO!!! Kléber recebe cruzamento da direita e balanças as redes
45min - GOOOLLL DO CRUZEIRO!!! Jonathan, de cabeça, após cruzamento de Thiago Ribeiro
SEGUNDO TEMPO
10 min O goleiro Machado evita o gol ao defender a bola nos pés de Guerrón
38min - Thiago Ribeiro recebe e bate firme, obrigando Machado a mais uma boa defesa
42min - GOOLLL DO CRUZEIRO!!! Eliandro fez o quinto celeste
44min GOOOLLL DO CRUZEIRO!!! Bernardo faz mais um, depois de passar pelo goleiro adversário
47min - GOOOLLL DO CRUZEIRO!!! Guerrón, mesmo sem ângulo, marca o sétimo gol
Na partida de ida, disputada na altitude de 4 mil metros de Potosí, Cruzeiro e Real empataram em 1 a 1, na semana passada. Dessa forma, o time celeste precisa apenas de não sofrer gols do frágil time boliviano para garantir sua presença, pela terceira vez consecutiva na fase de grupos do torneio internacional, já que jogava por uma igualdade em 0 a 0. A cômoda situação celeste fez o técnico do Potosí, Sergio Apaza, dizer que sua equipe tentaria um “milagre”, em Belo Horizonte.



Mas isso não aconteceu. Desde o início do primeiro tempo, o domínio cruzeirense foi evidente e a maior prova disso é que o goleiro Fábio trabalhou pela primeira vez, aos 13min do segundo tempo. A etapa inicial terminou 4 a 0 para a equipe de Kléber, que teve sua permanência na Toca da Raposa amplamente festejada pela torcida, que compareceu em grande número ao Mineirão. O Gladiador fez a sua parte ao marcar um dos gols do triunfo.

Com a confirmação da sua classificação para a próxima fase da competição continental, diante da sua torcida, o Cruzeiro passa a ser o quarto integrante do grupo 7 da Libertadores e terá pela frente os seguintes adversários: Vélez Sarsfield, da Argentina, Colo Colo, do Chile, e Deportivo Itália, da Venezuela. O primeiro jogo da equipe celeste na próxima fase do torneio é o time argentino, na quarta-feira que vem, em Buenos Aires.

Sem Gilberto, que foi expulso em Potosí, Adilson Batista armou o Cruzeiro com três volantes – Henrique, Elicarlos e Marquinhos Paraná –, e três atacantes – Wellington Paulista, Thiago Ribeiro e Kléber. O time pressionou desde o primeiro momento, mandando bola na trave, com Henrique, logo aos 8min, e criando outras chances antes de abrir o placar, aos 28min.

O primeiro gol cruzeirense saiu em lance confuso. Wellington Paulista tocou a bola para as redes, mas o gol foi atribuído pelo árbitro Diego Hernán Abal a Marquinhos Paraná, que acompanhava o lance junto com o zagueiro Ricaldi. Os outros três gols foram assinalados por Thiago Ribeiro, Kléber e Jonathan, aos 30min, 39min e 45min da etapa inicial.

Os dois times voltaram sem mudanças para o segundo tempo. Os jogadores do Cruzeiro retornaram com o discurso de manter a seriedade. “Nosso time está jogando bem, criamos uma vantagem legal, temos de ampliar, aproveitar para marcar mais gols até para a gente pegar moral”, comentou Kléber. “Futebol é complicado, mas é uma vantagem muito difícil de se reverter. Mas vamos jogar sério para ampliar”, acrescentou.

Logo ao dar a saída de bola para a etapa final,o Gladiador recebeu entrada dura de Yecerotte, que foi expulso. Com um jogador a mais, Adilson Batista colocou um quarto atacante em campo: Guerrón, que substituiu o volante Elicarlos. E o Cruzeiro cumpriu o que Kléber afirmou, continuou no ataque, tentando ampliar a vantagem. Oportunidades para isso acontecer foram criadas e desperdiçadas.

A torcida celeste, empolgada, vibrava a cada lance. Aos 4min, por exemplo, comemorou com Guerrón um gol, que já havia sido anulado por impedimento. Depois gritou, em coro, o nome do treinador Adilson Batista e cantou muito no Mineirão. Batido em campo, o Real Potosí, em alguns momentos, abusou das faltas e entradas duras. Em lance curioso, aos 8 min, Galindo deu carrinho visando Guerrón, mas acertou o seu companheiro de time, Clavijo.

Depois dos 20min, Adilson Batista tirou o atacante Wellington Paulista, substituindo-o pelo meia Bernardo, mas mantendo a capacidade ofensiva do Cruzeiro. Aos 27min, Thiago Ribeiro também teve um gol anulado. No minuto seguinte, o jovem Eliandro entrou no lugar de Kléber, que deixou o gramado aplaudido com entusiasmo.

Logo depois, Galindo foi expulso, deixando o seu time com nove atletas. O Cruzeiro continuava buscando o quinto gol, mas já administrando a goleada construída no primeiro tempo. Eliandro, Bernardo e Guerrón ainda marcaram mais três gols, fechando em 7 a 0 e mantendo vivo, nos torcedores do time mineiro, o sonho de comemorar o terceiro título da Libertadores.

No ano passado, a conquista passou perto, com o vice-campeonato, já que a equipe perdeu a final para o Estudiantes.