22/06/2017: Ponte Preta 1x0 Cruzeiro

sexta-feira, 23 de junho de 2017



Ponte Preta 1x0 Cruzeiro
Motivo: 9ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 22/06/2017 (quinta-feira)
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas-SP
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha - RJ (CBF)
Público: 4.717
Renda: R$ 115.475,00
Gol: Lucca, aos 36 minutos do primeiro tempo
Ponte Preta: Aranha; Nino Paraíba, Rodrigo, Marllon e João Lucas; Fernando Bob, Elton, Renato Cajá (Léo Arthur) e Claudinho (Jadson); Emerson Sheik e Lucca (Lins).
Técnico: Gilson Kleina
Cruzeiro: Fábio; Lennon (Lucas Romero), Kunty Caicedo, Murilo e Bryan; Hudson, Lucas Silva, Rafinha e Elber; Rafael Marques (Sassá) e Ramón Ábila (Rafael Sóbis). 
Técnico: Sidnei Lobo

Cartões amarelos: Fernando Bob, João Lucas (Ponte Preta); Lennon, Kunty Caicedo (Cruzeiro)

+Fotos do jogo




Do Superesportes

Com nove reservas, o Cruzeiro abriu mão de dar sequência ao bom futebol que havia apresentado no segundo tempo da derrota por 1 a 0 para o Corinthians e no empate por 3 a 3 com o Grêmio, pelas últimas duas rodadas da Série A. Em jogo letárgico, a Ponte Preta fez valer a condição de mandante e derrotou a Raposa por 1 a 0 na noite desta quinta-feira, no Moisés Lucarelli. O único gol do duelo foi marcado por Lucca, de pênalti, ainda na etapa inicial.

Surpreendentemente, o suspenso Mano Menezes, que assistiu ao duelo de um camarote, optou por poupar oito jogadores nesta quinta-feira – Ezequiel, Diogo Barbosa, Lucas Romero, Ariel Cabral, Robinho, Thiago Neves, Alisson e Rafael Sobis. O Cruzeiro ainda teve Murilo entre os defensores, já que Leo foi expulso na última rodada da Série A. Kunty Caicedo e Fábio foram os únicos titulares escalados. Com os suplentes, o time celeste foi desorganizado, desempenhou um futebol burocrático e completou o terceiro jogo sem vitória no Campeonato Brasileiro.

Depois do duelo em Campinas, o Cruzeiro retorna ao Mineirão para receber o Coritiba, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O compromisso, que marcará a estreia do novo uniforme da Raposa, está marcado para o próximo domingo, às 16h. Os ingressos já estão disponíveis para os torcedores. A Ponte, por sua vez, volta a entrar em campo dentro de seus domínios, em embate diante do Palmeiras, também no domingo, às 16h. 
O jogo

Depois de protagonizar um dos melhores duelos do Campeonato Brasileiro, o empate por 3 a 3 com o Grêmio, no Mineirão, o Cruzeiro foi personagem de um jogo sofrível na noite desta quinta-feira. Sonolento, o embate entre Ponte Preta e Raposa (com nove jogadores reservas) teve sua primeira finalização apenas aos 36 minutos, quando o atacante Lucca sofreu pênalti infantil de Lennon, cobrou e abriu o placar do Moisés Lucarelli. 1 a 0. Antes disso, muitos erros de passe e pouquíssima inspiração de lado a lado.

Ainda que em marcha lenta, o início da etapa final mostrou alguma movimentação. Pelo Cruzeiro, Elber foi quem tomou mais iniciativa aproveitando a deficiência de marcação da Ponte Preta no lado direito. O camisa 23 foi o responsável pela primeira finalização, aos 8’. Aranha fez defesa importante. Três minutos depois, nova chegada perigosa da equipe celeste. Ábila recebeu lançamento, escorou de peito para Rafael Marques, mas o atacante se desequilibrou no momento da finalização.

Diante de um domínio ofensivo e maior volume de jogo do Cruzeiro, Sidnei Lobo, substituto de Mano no banco, mudou quase ao mesmo tempo duas peças de ataque. Promoveu a estreia de Sassá e trocou Ramón Ábila por Rafael Sobis. Apesar das novidades, o desempenho seguiu muito tímido, longe do que poderia ser caso os titulares tivessem recebido oportunidades desde o início da partida. O jogo, que certamente estará na lista dos piores da competição nacional, caminhou para o fim de forma melancólica. 

19/06/2017: Cruzeiro 3x3 Grêmio

terça-feira, 20 de junho de 2017



Cruzeiro 3x3 Grêmio
Motivo: 8ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 19/06/2017 (segunda-feira)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Árbitro: Raphael Claus – SP (FIFA)
Gols: Everton aos 15 minutos, Michel aos 41 e Thiago Neves aos 45 do primeiro tempo; Rafael Sóbis aos 2 minutos, Ramiro aos 14 e Robinho aos 17 minutos do segundo tempo
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Léo, Kunty Caicedo e Diogo Barbosa; Lucas Romero, Ariel Cabral (Lucas Silva), Robinho (Ramón Ábila) e Thiago Neves; Rafael Sóbis (Elber) e Alisson
Técnico: Mano Menezes
Grêmio: Marcelo Grohe, Edilson, Kannemann (Rafael Thyere), Pedro Geromel e Cortez, Michel, Ramiro, Arthur (Maicon) e Luan, Pedro Rocha (Fernandinho) e Everton
Técnico: Renato Portaluppi
Cartões amarelos: Léo, Diogo Barbosa, Robinho e Rafael Sóbis (Cruzeiro); Ramiro e Michel (Grêmio)

+Fotos



Quem compareceu ao Mineirão na noite desta segunda-feira assistiu a um espetáculo recheado de gols, defesas importantes, bolas na trave e gritos eufóricos do público. Sem dúvidas, o empate por 3 a 3 entre Cruzeiro e Grêmio, no Gigante da Pampulha, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro foi digno dos melhores confrontos do futebol nacional em 2017. O resultado em si é que não agradou nenhum dos clubes. A Raposa manteve a oitava colocação na competição, com 11 pontos, enquanto o time gaúcho permaneceu em segundo, com 19.
É preciso, no entanto, ressaltar o espírito de luta cruzeirense. Outrora criticado pela falta de pontaria na conclusão de seus ataques, o time mostrou bom aproveitamento ofensivo. Além dos gols de Thiago Neves, Rafael Sobis e Robinho, Alisson acertou a trave por duas vezes, e o goleiro Marcelo Grohe fez uma ótima defesa no primeiro tempo. O Grêmio também não ficou por baixo, uma vez que exigiu pelo menos três grandes intervenções de Fábio. No fim das contas, Tricolor é quem lamenta, pois esteve duas vezes à frente do marcador (2 a 0 e 3 a 2). Demonstrando muita bravura, o Cruzeiro conseguiu a igualdade e deu esperanças ao seu torcedor de que pode melhorar ao longo da temporada e fazer justiça ao bom elenco que tem.
 
Na próxima quinta-feira, às 19h30, o Cruzeiro visitará a Ponte Preta no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. No mesmo dia, às 21h, o Grêmio receberá o Coritiba na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.
Raposa vai bem, mas sai em desvantagem
 
De um lado o Grêmio, vice-líder do Campeonato Brasileiro, dono do ataque mais positivo (18 gols antes do início da partida) e conhecido por ser uma equipe de muita qualidade no toque de bola. Do outro o Cruzeiro, que, apesar de ter sofrido apenas cinco gols, foi derrotado no Campeonato Brasileiro justamente em função de equívocos de seu sistema defensivo. A Raposa, entretanto, contrariou os números e começou o confronto em cima do adversário. Com o setor ofensivo mais leve – Robinho, Thiago Neves, Alisson e Rafael Sobis –, os comandados de Mano Menezes pressionaram a saída de bola gremista e logo aos 4min criaram a primeira situação perigosa. Alisson recebeu de Thiago Neves, fintou Edílson e chutou forte, com o pé esquerdo, na trave direita de Marcelo Grohe.
 
Até em função do primeiro ataque, o Cruzeiro continuou jogando bem no Mineirão. Teve o domínio da posse de bola, ocupou o campo ofensivo e acuou o Grêmio. Contudo, as falhas de marcação complicaram a equipe. Como aos 16min, quando Luan bateu escanteio no primeiro poste, em jogada premeditada. Kannemann desviou, a redonda tocou na trave esquerda e sobrou limpa para Everton marcar: 1 a 0. Atordoado com o gol sofrido, o time celeste quase levou o segundo, em contra-ataque puxado por Cortêz e concluído por Luan. Fábio saiu bem no lance e abafou a jogada.
 
Passados alguns minutos, o Cruzeiro respirou fundo e se reencontrou. Ainda que um pouco desorganizado, o time voltou a atacar. Numa bonita troca de passes entre Alisson, Ariel e Rafael Sobis, Thiago Neves bateu firme, mas por cima do gol. Aos 35min, Sobis ganhou o rebote de escanteio e, da entrada da área, exigiu grande defesa de Marcelo Grohe. Aos 37min, Alisson – tão cobrado pela falta de pontaria nas finalizações –, voltou a fazer o mais difícil, que é acertar exatamente a trave esquerda. Pouco tempo depois, o lateral-esquerdo Diogo Barbosa atingiu Ramiro em disputa pelo alto e foi advertido com o cartão amarelo. Mano Menezes, irritado com o lance, reclamou muito e acabou expulso. Na execução da jogada, Everton ficou com a sobra, chutou rasteiro e Fábio espalmou para a pequena área. Aí apareceu Michel, tranquilo e sem nenhum cruzeirense na cola: Grêmio 2 a 0. Só que o jogo era lá e cá. E finalmente o Cruzeiro desencantou. Thiago Neves, aos 45min, aproveitou-se de bola mal afastada por Kannemann e diminuiu no Gigante da Pampulha: 2 a 1. O Tricolor, por sua vez, esteve perto de ampliar já nos acréscimos: Everton recebeu presente de Diogo Barbosa e só não fez o terceiro porque Fábio saiu bem para defender.
 
Emoção até o fim
 
Ofensivamente, o Cruzeiro foi bem na etapa inicial. E por isso, a base foi mantida. Estratégia que surtiu resultado aos 2min. Após chutão de Leo, Thiago Neves ajeitou no campo de ataque e deu assistência precisa para Rafael Sobis empatar: 2 a 2. Mas não dava para desviar os olhares do gramado. O Grêmio novamente se colocou à frente aos 14min. Pedro Rocha recebeu de Luan, chutou cruzado e Fábio defendeu parcialmente. Na sobra, Ramiro fez 3 a 2. Só que o Cruzeiro, muito valente em campo, estava disposto a dificultar para o postulante ao título. Aos 17min, Robinho apareceu livre na grande área e finalizou no canto direito de Marcelo Grohe: 3 a 3.
 
As equipes continuaram no sistema “lá e cá”. O Grêmio gelou a barriga dos cruzeirenses aos 34min, no lance em que Ramiro, sozinho, cabeceou para fora. Já nos acréscimos da etapa complementar, Elber, que havia entrado há pouco tempo, livrou-se do adversário e bateu bonito de esquerda. A redonda triscou o travessão e saiu para a linha de fundo. Se nenhum clube saiu com os três pontos de Belo Horizonte, uma coisa é certa: as duas torcidas assistiram a um grande espetáculo na capital mineira!

14/06/2017: Corinthians 1x0 Cruzeiro

sábado, 17 de junho de 2017



Corinthians 1x0 Cruzeiro
Motivo: 7ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 14/06/2017 (quarta-feira)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo-SP
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden-RS
Público: 30.465
Renda: R$ 1.462.405,40
Gol: Balbuena, aos 42 minutos do 1º tempo
Corinthians: Cássio; Paulo Roberto, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Marquinhos Gabriel (Clayson) e Jadson (Giovanni Augusto); Ángel Romero (Camacho) e Jô. Técnico: Fábio Carille
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique (Alisson), Lucas Romero e Ariel Cabral; Rafinha (Rafael Sóbis), Thiago Neves (Rafael Marques) e Ramón Ábila.
Técnico: Mano Menezes
Cartão amarelo: Henrique (Cruzeiro)

+ Fotos do Jogo




11/06/2017: Cruzeiro 2x0 Atlético - GO

segunda-feira, 12 de junho de 2017



Cruzeiro 2x0 Atlético - GO
Motivo: 6ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 11/06/2017 (domingo)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Árbitro: João Batista de Arruda-RJ (CBF-AB)
Gols: Ramón Abila, aos 16 min, e aos 34 min. do 2º tempo
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Lucas Romero, Ariel Cabral (Hudson), Robinho e Thiago Neves (Rafinha); Rafael Marques (Alisson) e Ramón Abila
Técnico: Mano Menezes
Atlético-GO: Felipe; André Castro, Eduardo Bauermann, Roger Carvalho e Bruno Pacheco; Marcão, Silva (Luiz Fernando), Breno Lopes (Walterson) e Jorginho; Andrigo (Júnior Viçosa) e Everaldo
Técnico: Doriva
Cartões amarelos: Andrigo, André Castro, Marcão e Jorginho (Atlético-GO); Murilo Cerqueira, Robinho e Thiago Neves (Cruzeiro)

+Fotos




08/06/2017: Bahia 1x0 Cruzeiro

sexta-feira, 9 de junho de 2017



Bahia 1x0 Cruzeiro
Motivo: 5ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 08/06/2017 (quinta-feira)
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador-BA
Árbitro: Wagner Nascimento Magalhães
Público: 18.917
Renda: R$ 435.380,50
Gol: Edigar Junio, aos 17 minutos do primeiro tempo
Bahia: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Renê Júnior, Juninho, Allione (Mendoza) e Vinícius (Gustavo Ferrareis); Zé Rafael (Feijão) e Edigar Junio.
Técnico: Jorginho
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Henrique, Léo e Diogo Barbosa; Lucas Romero, Ariel Cabral e Robinho (Elber); Thiago Neves (Rafinha), Alisson e Ramón Ábila (Murilo). 
Técnico: Mano Menezes
Cartões amarelos: Renê Júnior, Vinícius, Eduardo, Tiago (Bahia); Ezequiel, Ábila (Cruzeiro)
Cartão vermelho: Henrique (Cruzeiro)

Mais Fotos





04/06/2017: Cruzeiro 0x2 Chapecoense

segunda-feira, 5 de junho de 2017



Cruzeiro 0x2 Chapecoense
Motivo: 4ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 04/06/2017 (domingo)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Árbitro: Cláudio Francisco Lima e Silva-SE (CBF-AB)
Público: 13.371 pagantes
Renda: R$ 249.694,00
Gols: Wellington Paulista, aos 26 min. do 1º tempo; Grolli, aos 2 min. do 2º tempo
Cruzeiro: Fábio; Hudson (Lennon), Léo, Kunty Caicedo e Diogo Barbosa; Ariel Cabral (Robinho), Henrique, Rafinha (Ramón Abila) e Thiago Neves; Alisson e Rafael Marques
Técnico: Mano Menezes
Chapecoense: Jandrei; Apodi, Grolli, Victor Ramos e Reinaldo; Luiz Antônio, Andrei Girotto, Seijas e (Nadson) Rossi; Wellington Paulista (Túlio de Melo) e Arthur (Osman)
Técnico: Wagner Mancini
Cartões amarelos: Rossi, Victor Ramos e Osman (Chapecoense)

Clique aqui para ver mais fotos




01/06/2017: Chapecoense 0x0 Cruzeiro

sábado, 3 de junho de 2017



Chapecoense 0x0 Cruzeiro
Motivo: Jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil
Data: 01/06/2017 (quinta-feira)
Local: Arena Condá, em Chapecó-SC
Árbitro: Péricles Bassols - PE (CBF)
Público: 6.387
Renda: R$ 132.410,00
Chapecoense: Jandrei; Apodi, Luiz Otávio, Victor Ramos e Reinaldo; Andrei Girotto, Luiz Antônio (Niltinho) e Nadson (Nenén); Rossi, Arthur Caike e Wellington Paulista (Túlio de Melo).
Técnico: Vágner Mancini
Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero (Rafinha), Kunty Caicedo, Léo e Diogo Barbosa; Henrique, Hudson e Ariel Cabral; Thiago Neves (Lucas Silva), Alisson e Ramón Ábila (Raniel). 
Técnico: Mano Menezes
Cartão amarelo: Rossi (Chapecoense); Fábio, Henrique, Lucas Romero, Ariel Cabral, Diogo Barbosa (Cruzeiro)



Superesportes
O futebol apático do Cruzeiro voltou a dar as caras na noite desta quinta-feira, na Arena Condá. Apesar disso, o empate por 0 a 0 que o time de Mano Menezes segurou em Santa Catarina a duras penas, contra a Chapecoense, garantiu a equipe nas quartas de final da Copa do Brasil. No duelo de ida, a Raposa havia vencido o compromisso por 1 a 0, no Mineirão, o que confirmou o resultado positivo no placar agregado.

Depois do apito final, o clima esquentou na Arena Condá. Revoltados com algumas marcações de Péricles Bassols, os jogadores da Chapecoense partiram para cima do trio de juízes. O quarto árbitro Evandro Tiago deixou o campo com sangramento no rosto, possivelmente depois de ser atingido por algum objetivo jogado das arquibancadas. Enquanto isso, nos vestiários do estádio, a delegação catarinense se envolveu em discussão áspera com os cruzeirenses.

O sorteio que definirá os duelos da próxima fase da Copa do Brasil está marcado para segunda-feira, dia 5, às 11h, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro.

O Cruzeiro agora volta suas atenções para a disputa do Campeonato Brasileiro, mas não muda o foco sobre o adversário. No próximo domingo, às 19h, a equipe de Mano Menezes recebe a mesma Chapecoense, no Mineirão. Os dois clubes dividem a liderança do torneio, ao lado do Corinthians, todas com sete pontos conquistados. Os catarinenses têm vantagem no saldo de gols.
Como venceu o primeiro jogo da disputa, por 1 a 0, no Mineirão, o Cruzeiro entrou em campo precisando apenas do empate com a Chapecoense. Apesar disso, foi o time de Mano Menezes que começou propondo na Arena Condá. Nos primeiros 15 minutos, a Raposa chegou ao gol de Jandrei em pelo menos cinco oportunidades, ainda que sem levar muito perigo. Defensivamente, se postou em linhas próximas e mostrou atenção na marcação, impedindo qualquer tentativa de contra ataque da Chape.

Os donos da casa tiveram sua primeira chegada aos 18’, em finalização de cabeça de Wellington Paulista, e equilibrou as ações ofensivas a partir daí. Com posicionamento corrigido e dando menos espaço aos jogadores que pensam o jogo pelo lado do Cruzeiro, a Chapecoense intensificou as tentativas ofensivas pelo lado esquerdo, principalmente com Luiz Antônio e Reinaldo. Aos 38’ da etapa inicial, o volante finalizou em cima de Diogo Barbosa e no rebote, dentro da área, Arthur Caike perdeu chance clara de colocar o time catarinense na frente do placar.

Na resposta, aos 43’, o Cruzeiro perdeu oportunidade ainda mais impressionante. Lucas Romero recebeu ótimo lançamento de Ariel Cabral, fintou o marcador e colocou Hudson livre para a finalização. Da marca do pênalti, o volante chutou sem força e facilitou o trabalho de Jandrei. Na saída do intervalo, Thiago Neves cobrou melhora pontual: Temos que segurar a bola na frente e caprichar no último passe. Temos que ter tranquilidade, porque temos espaço”, disse.

Apesar da ‘chamada’ do camisa 30 do Cruzeiro na saída para o intervalo, foi a Chapecoense que voltou mais contundente. Logo no primeiro lance da segunda etapa, Wellington Paulista marcou, mas o árbitro Péricles Bassols assinalou falta polêmica de Victor Ramos em Hudson e anulou o gol do time alviverde. O controle do adversário motivou Mano Menezes a mudar o esquema logo aos 8’. Ele tirou Romero, deslocou Hudson para a direita e promoveu a entrada de Rafinha.

Mas foi a Chapecoense que seguiu assustando. Aos 15’, Hudson salvou o Cruzeiro em tentativa de Madson. No rebote, Reinaldo acertou a bola no travessão de Fábio. Ainda que tentasse segurar a bola no campo ofensivo, o Cruzeiro errava os passes e, displicentemente, as chances claras que conseguia em contra-ataques. Aos 32’, Thiago Neves partiu em velocidade, errou na tomada de decisão, mas a bola sobrou limpa para Rafinha, de frente para o gol. O meia-atacante finalizou para fora.  Depois disso, o Cruzeiro se fechou de olho no empate, sofreu pressão enorme da Chape - que teve um gol bem anulado -, mas confirmou o placar de 0 a 0 e se garantiu nas quartas de final da Copa do Brasil.