04/12/2011:Cruzeiro 6x1 Atlético - MG

sábado, 11 de março de 2017




CRUZEIRO 6 X 1 ATLÉTICO-MG
Data: 04/12 (domingo)
Motivo: 38ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique/RJ (Fifa)
Público: 18.500 pagantes
Renda: R$ 258.684,50
Gols: Roger, aos 9 min., Leandro Guerreiro, aos 28 min., Anselmo Ramon, aos 33 min., e Fabrício, aos 45 min. do 1º tempo; Wellington Paulista, aos 11 min., e Réver, aos 15 min., e Everton, aos 45 min. do 2º tempo
Cruzeiro:Rafael; Léo, Naldo e Victorino; Fabrício, Leandro Guerreiro, Charles (Farías), Roger (Ortigoza) e Diego Renan; Wellington Paulista e Anselmo Ramon (Everton)
Técnico: Vágner Mancini
Atlético-MG:Renan Ribeiro; Serginho (Magno Alves), Réver, Leonardo Silva (Werley) e Richarlyson; Pierre, Filipe Soutto, Carlos César e Daniel Carvalho; Bernard e André
Técnico: Cuca
Cartões amarelos: Leandro Guerreiro, Roger, Anselmo Ramon e Charles (Cruzeiro); Pierre e Richarlyson (Atlético-MG)
Cartões vermelhos: Wellington Paulista (Cruzeiro); Werley (Atlético-MG)
Fonte: www.cruzeiro.com.br


+Fotos do jogo









Leitura complementar

Resenha do jogo
Reportagens do Superesportes
Reportagens do Supernotícia
29/11/2011: áudio de entrevista de Belleti na Itatiaia


Diante da marcação imposta pelo Cruzeiro, o Atlético-MG não conseguiu jogar. Para piorar, a defesa alvinegra, até então a melhor do segundo turno do Campeonato Brasileiro, falhou em várias oportunidades. Os atacantes cruzeirenses, comandados pelo meia Roger, o melhor aem campo, levaram vantagem em quase todas as jogadas.
Com o resultado, o Atlético-MG se manteve com 45 pontos e caiu para a 15ª posição na tabela de classificação. O Cruzeiro, com mais três pontos, chegou aos 43, na 16ª colocação. Com o resultado, ambos se livraram do rebaixamento, mas também não conseguiram vaga na Copa Sul-Americana.
Agora, as duas equipes entram em férias e voltarão apenas em janeiro, na pré-temporada preparatória para a disputa do Campeonato Mineiro. O Cruzeiro, atual campeão, estreará na competição estadual no dia 29, em Ipatinga, diante do Nacional, de Nova Serrana. O Atlético-MG, por sua vez, vai encarar o Boa Esporte, também no dia 29, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.
Goleada impressionante
O clássico começou muito ríspido, com entradas duras de ambos os times. Logo nos primeiros minutos, Pierre e Fabrício fizeram faltas duríssimas. Em uma disputa na área do Atlético-MG, Charles deu uma cotovelada em Pierre, mas a arbitragem alegou que não viu nada. O volante cruzeirense merecia expulsão.

O Cruzeiro diminuía os espaços com marcação forte e muita vontade. Também saía rapidamente com seus jogadores de ataque. Em uma dessas investidas, aos 9 minutos, Anselmo Ramon, pela direita, fez ótimo cruzamento para Roger. O meia, que substituiu Montillo, suspenso, teve apenas o trabalho de empurrar a bola para as redes atleticanas.
E o Cruzeiro continuou melhor na partida. Mesmo em vantagem no placar, seguiu insistindo em busca do segundo gol. E ele veio, aos 28 minutos, após cobrança de falta de Roger. O volante Leandro Guerreiro subiu mais que Pierre e tocou de cabeça, sem chances para Renan Ribeiro.
Tudo parecia perfeito para o Cruzeiro, mas a situação ficou ainda melhor. Aos 33 minutos, Réver falhou diante de Wellington Paulista, que tomou a bola, chegou à linha de fundo e cruzou rasteiro. Anselmo Ramon girou diante de Leonardo Silva e tocou por baixo das pernas do goleiro atleticano.
Cuca tentou arrumar a casa do Galo ainda na primeira etapa. Colocou o atacante Magno Alves em campo, na vaga de Serginho, que jogava improvisado na lateral direita. Assim, Carlos César, que fora escalado no meio-campo, voltou à posição de origem.
Mas quem chegou ao quarto gol foi o Cruzeiro. Aos 45 minutos, Fabrício pegou a bola na intermediária, avançou e bateu de longe. A bola ainda desviou em Leonardo Silva, enganando o goleiro Renan Ribeiro. Goleada incrível na Arena do Jacaré.
Maior goleada da história
No segundo tempo, continuou o martírio atleticano. O Cruzeiro manteve a pressão, e a torcida presente nas arquibancadas entrou na onda, mas de forma infeliz. Alguns torcedores arremessaram rojões no gramado. Aos 3 minutos, um deles estourou bem próximo do goleiro Renan Ribeiro, que reclamou bastante de dores no ouvido. O árbitro pediu reforço policial, e a partida foi interrompida por três minutos.
Na sequência, o Cruzeiro chegou ao quinto gol. Aos 12 minutos, Roger, inspirado, fez grande jogada pela direita do ataque e cruzou na cabeça de Wellington Paulista, que, livre, cabeceou em direção ao gol. Leonardo Silva ainda tentou tirar a bola, mas não evitou o quinto da Raposa.
O Galo ainda chegou ao gol de honra. Os dois zagueiros foram para o ataque em busca do que seus companheiros de frente não estavam conseguindo. Aos 15 minutos, Leonardo Silva, pela direita, chutou forte e rasteiro para a área. Réver, oportunista, tocou de leve, apenas para tirar o goleiro Rafael de ação: 5 a 1.
Aos 32 minutos, o árbitro Marcelo de Lima Henrique mostrou o cartão vermelho para o zagueiro Werley, do Atlético-MG, e o atacante Wellington Paulista, do Cruzeiro. Os dois trocaram sopapos e foram merecidamente expulsos.
A partir daí, o Cruzeiro diminui o ímpeto, já esperando o apito final. O Atlético-MG ensaiou uma pequena pressão, mas também não mostrou forças para tentar algo melhor na partida. E aos 45 minutos, ainda sofreu mais um, o sexto. Ortigoza fez ótima jogada pela esqueda e cruzou para Everton, que tocou para o fundo das redes: 6 a 1. O placar elástico histórico garantiu o time celeste na Série A e ainda tirou o Galo da Copa Sul-Americana. Foi a maior goleada do Cruzeiro sobre o rival em todos os tempos.