27/11/11: Ceará 2x2 Cruzeiro

quinta-feira, 9 de março de 2017




Ceará 2x2 Cruzeiro
Motivo: 37ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza-CE
Data: 27/11/2011
Horário: 17h
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (São Paulo)
Gol: Osvaldo aos 20’; Anselmo Ramon aos 23’ do 1º tempo; Ortigoza aos 16’ e Daniel Marques aos 37’ do 2º tempo.
Ceará: Fernando Henrique, Juca, Fabrício, Daniel Marques e Eusébio; João Marcos (Leandro Chaves), Heleno, Michel (Sinho) e Thiago Humberto; Roger (Washington) e Osvaldo
Técnico: Dimas Filgueiras
Cruzeiro:Fábio; Marquinhos Paraná (Naldo), Léo, Victorino e Diego Renan; Fabrício, Leandro Guerreiro, Charles (Everton) e Montillo; Wellington Paulista e Anselmo Ramon (Ortigoza)
Técnico: Vágner Mancini
Cartão amarelo: Fernando Henrique, Michel, Eusébio, Daniel Marques, Thiago Humberto (Ceará); Charles, Fábio, Montillo, Marquinhos Paraná (Cruzeiro)



Crônica da partida

Como já era esperado, o jogo no Estádio Presidente Vargas teve todas as emoções dignas de uma final de Copa do Mundo. Com dois times correndo até os limites das forças, o empate por 2 a 2 acabou justo. O Ceará saiu na frente com um golaço de Osvaldo, mas Anselmo Ramon empatou ainda na primeira etapa para o Cruzeiro. No segundo tempo, Ortigoza virou o jogo em sua primeira participação, mas Daniel Marques fez outro belo gol para deixar tudo igual.
O resultado só não foi pior para ambos porque o América-MG complicou a vida do Atlético-PR ao vencer por 2 a 1. Agora, Vozão e Raposa chegam à última rodada brigando contra a queda. Com 39 pontos e em 17º, o Ceará precisa vencer o Bahia no Estádio Pituaçu, em Salvador, e torcer por um tropeço do time mineiro no clássico contra o Atlético-MG. Já ao Cruzeiro, que tem 40 pontos e continua em 16º, a vitória sobre o arquirrival basta para fugir do Z-4, caso empate, terá que torcer para os cearenses não vencerem os baianos. Em caso de derrota, o Cruzeiro só se salva se o Vovô não vencer o Bahia, e o Atlético-PR também não some os três pontos contra o Coritiba. Todos os jogos serão no próximo domingo, às 17h (de Brasília).
Correria e igualdade no primeiro tempo
Pelo lado do Ceará houve surpresa na escalação. Depois de sinalizar durante toda a semana que Washington seria o substituto de Felipe Azevedo, o técnico Dimas Filgueiras optou por Roger, preferência da torcida alvinegra.
Já pelo lado do Cruzeiro, o técnico Vágner Mancini bem que tentou manter o mistério, mas não fez nenhuma alteração de impacto. O zagueiro Léo, recuperado de estiramento, e o volante Charles foram para o jogo, assim como o atacante Anselmo Ramon, que fez dupla com Wellington Paulista.
O Ceará começou em cima, mas logo no primeiro lance de ataque, perdeu a bola e deu o contra-ataque para o Cruzeiro. O meia Montillo lançou Diego Renan na cara de Fernando Henrique, mas o lateral mostrou que não vive grande fase e perdeu gol incrível ao chutar por cima.
O clima era quente. Não só pelo forte calor em Fortaleza, mas pela tensão nas jogadas ríspidas. Heleno e Wellington Paulista foram os primeiros a se desentender.
O atacante do Vozão, Osvaldo, cogitado como reforço do Cruzeiro para o próximo ano, não teve pena do seu possível futuro clube. Ele recebeu pela direita, aos 20 minutos, colocou entre as pernas de Diego Renan, e chutou quase sem ângulo para abrir o placar e explodir o Presidente Vargas de alegria. Belo gol.
Mas três minutos depois, Montillo achou Anselmo Ramon, que subiu sozinho e empatou o jogo para delírio da pequena torcida celeste. O jogo passou a ser dos dois lados do campo. Enquanto o time da casa pressionava sem tanto perigo, os mineiros encontravam espaços na defesa cearense, mas sem êxito nas finalizações.
O atacante Roger, de tanto não dar sequência às jogadas de ataque, passou a ser xingado pelos próprios torcedores do Ceará. E o primeiro tempo terminou igual, com muita correria, vontade, mas pouca qualidade técnica, o que reflete as posições das equipes na tabela.
Mais um gol para cada lado e emoção até a última rodada
Na medida em que o tempo passava, a ansiedade tomava conta das duas equipes. Erros de passe, de domínio de bola e finalizações eram comuns para os dois lados. Até o técnico Dimas Filgueiras perdeu a paciência com Roger e colocou Washington no ataque.
Para ganhar velocidade na frente, Vágner Mancini optou por Ortigoza na vaga de Anselmo Ramon. E a estrela do treinador celeste brilhou no primeiro lance do paraguaio. Marquinhos Paraná foi à linha de fundo e cruzou para Ortigoza virar a partida.
O Ceará sentiu o golpe. Com o PV calado, o time alvinegro não conseguia trocar mais do que cinco passes sem errar. Até Osvaldo, o mais lúcido do time cearense, tinha dificuldades de armar as jogadas.
O Vozão corria contra o tempo e contra a marcação forte dos cruzeirenses, além da tradicional "cera" celeste. Parte da torcida do Ceará, que estava atrás do gol de Fábio, começou a jogar objetos, já vislumbrando a queda.
Mas as emoções nesse Campeonato Brasileiro vão até o fim. O zagueiro Daniel Marques saiu na cara de Fábio, e com categoria de matador, tocou por cima de Fábio para empatar e elouquecer o Presidente Vargas.
Com a torcida inflamada, o Vozão foi para cima, e sempre com Osvaldo, levava pânico ao torcedor celeste. Nitidamente sem fôlego, o Cruzeiro se segurava como podia e na base do chutão tentava ligar o contragolpe. Mas apesar dos esforços, o time da casa não conseguiu chegar à virada. Com o empate, os dois times ainda terão que lutar contra a degola na última rodada.