25/06/2011: Cruzeiro 2x1 Coritiba

domingo, 26 de junho de 2011




CRUZEIRO 2 X 1 CORITIBA
Motivo: 6ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas
Data: 25/06/2011 (sábado)
Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS)
Público: 5.256 pagantes
Renda: R$ 90.733,75
Gols: Montillo, aos 7min; Leonardo, aos 34min e Montillo, aos 39min do segundo tempo
Cruzeiro: Fábio; Marquinhos Paraná, Gil, Léo e Diego Renan; Fabrício, Henrique (Dudu), Everton e Montillo; Wallyson (Leandro Guerreiro) e Anselmo Ramon (Brandão)
Técnico: Joel Santana
Coritiba: Edson Bastos; Jonas, Emerson, Pereira e Eltinho; Willian, Léo Gago, Rafinha e Davi (Marcos Aurélio); Bill (Leonardo) e Everton Ribeiro (Everton Costa)
Técnico: Marcelo Oliveira.

Cartões amarelos: Fábio e Diego Renan (Cruzeiro); Willian, Eltinho, Pereira e Everton Costa (Coritiba)



 

+Fotos



Não foi com aquele futebol que encantou o Brasil que o Cruzeiro venceu a primeira no Campeonato Brasileiro. Entretanto, na base da raça e da vontade, o time comandado pelo estreante Joel Santana fez 2 a 1 no Coritiba, na Arena do Jacaré, e deixou a zona de rebaixamento. Com seis pontos, está em 14º lugar, enquanto os paranaenses entram no Z-4, em 17º, com quatro pontos.
Após um primeiro tempo fraco tecnicamente, a Raposa voltou do intervalo com disposição, e em duas jogadas de Dudu, Montillo marcou. Na primeira, o meia de 19 anos sofreu o pênalti convertido pelo argentino. Na segunda, ele foi ao fundo e cruzou para o camisa 10 completar. Marcos Aurélio até que deu trabalho e descontou para os visitantes, num chute cruzado, mas não conseguiu evitar o tropeço dos paranaenses.
O Cruzeiro volta a campo na próxima quarta-feira, em São Januário, onde encara o Vasco, às 19h30m (de Brasília). Já o Coritiba recebe o Ceará um dia depois, no mesmo horário.
 Supremacia da marcação
Ao som do funk "Uh, papai chegou", a torcida do Cruzeiro saudou o carioca Joel Santana como o novo treinador celeste. Em sua estreia no comando da equipe, Joel mudou pouco o time treinado por Cuca, seu antecessor. Com Marquinhos Paraná na lateral direita, Diego Renan na esquerda e Everton no meio-campo, a Raposa começou a partida em busca do gol. Mas o Coxa mostrou que chegar à decisão da Copa do Brasil não foi obra do acaso e imprimiu uma marcação forte aos donos da casa.
O Cruzeiro tentava armar as jogadas, mas Montillo era bem anulado pelo meio-campo paranaense. Wallyson buscava se alternar no ataque, ora pela direita, ora pela esquerda, sem conseguir sucesso. Com a marcação prevalecendo, o futebol das duas equipes foi condizente com a posição na tabela de classificação. A torcida cruzeirense pediu raça enquanto os jogadores desciam para o vestiário.

Montillo volta a ser Montillo
Com Dudu na vaga de Henrique, que deixou o campo ainda no primeiro tempo por conta de uma bolada no punho direito, o Cruzeiro começou a mudar a história do jogo. O meia foi derrubado na área por Eltinho, e o árbitro assinalou pênalti, convertido por Montillo aos sete minutos. O gol deu ânimo ao jogo, deixando a segunda etapa mais emocionante.
Em desvantagem no placar, o time de Marcelo Oliveira foi em busca do empate, mas de maneira desordenada. Marcos Aurélio perdeu um gol incrível ao chutar em cima de Fábio, na pequena área. No rebote, a bola ficou parada na frente do gol, mas, caído, o atacante não conseguiu o arremate.
Porém, num rápido contra-ataque, o mesmo Marcos Aurélio recebeu de Rafinha, livre, e chutou cruzado, sem chances para o goleiro Fábio. Silêncio na Arena do Jacaré. Joel Santana se revoltou à beira do gramado, e algumas vaias começaram a ser ouvidas.
Mas a noite era de Dudu. O meia deu bela assistência para Montillo, que apenas teve o trabalho de empurrar para a rede e voltar a colocar o Cruzeiro na frente. Alívio de Joel e dos torcedores. Logo na sequência do gol, o técnico mandou a campo o volante Leandro Guerreiro no lugar de Wallyson. A partir daí, o Coxa foi para cima com tudo, e na base do chutão e da disposição o Cruzeiro segurou o resultado.
Papai Joel mostrou que tem estrela e conquistou os três pontos para a Raposa em sua estreia na competição. E a torcida demonstrou reconhecimento gritando o nome do treinador no final da partida.

3 Comentários

sherlock holmes disse...

Voce tem jogos da libertadores 1976?
Como o jogo de volta contra o inter e o primeiro jogo contra o river?

26 de junho de 2011 19:24
sherlock holmes disse...

E também jogos completos de 2003, como os 2 x 0 santos e o empate de 1 x 1contra o spfc?

26 de junho de 2011 19:25
Sérgio Leite disse...

infelizmente, não.

26 de junho de 2011 20:48