1995: Cruzeiro 1x0 Olimpia, Copa Master

segunda-feira, 1 de junho de 2009

video

Há exatos 15 anos, em 16 de março de 1995, o Cruzeiro conquistava a Copa Master da Supercopa, sobre o Olímpia, do Paraguai, no Mineirão, e ratificava seu poderio em competições sul-americanas. O mini-torneio era disputado somente por clubes campeões da Supercopa. A equipe celeste, que já havia sido finalista da competição em 1992, contra o Boca Juniors, chegou ao título inédito três anos depois, vencendo os paraguaios por 1 x 0, gol de Marcelo Ramos, aos 32 minutos do segundo tempo.

O lateral-esquerdo Nonato relembra os duelos decisivos diante do Olímpia. “Empatamos no Paraguai e ganhamos de 1 x 0 no Mineirão. Foi um torneio importante, pois era uma competição internacional. Conquistei 14 títulos com a camisa do Cruzeiro e todos foram muito especiais”.

Nonato recorda que o Clube venceu seis torneios oficiais sul-americanos só nos anos 1990: duas Supercopas, uma Libertadores, uma Recopa, uma Copa Master e uma Copa Ouro. “Nossa geração venceu quase tudo que disputou. Conseguimos isto graças à nossa dedicação. Nós tínhamos um grupo muito forte e unido. Todos queriam ser campeões para ficar marcados na história do Cruzeiro. Não há dinheiro que pague isto”.

O título da Copa Master de 1995 marcou ainda uma seqüência de cinco eliminações consecutivas do Cruzeiro sobre o Olímpia. O fato fez a imprensa paraguaia chamar o time celeste de “La Bestia Negra” (a besta negra), apelido que acabou sendo adotado posteriormente pela imprensa de vários países da América Latina para se referir ao Melhor Clube Brasileiro do Século XX.

Todas as quatro eliminações anteriores do Cruzeiro sobre o Olímpia ocorreram na Supercopa. A primeira delas foi nas oitavas-de-final de 1989. A equipe celeste precisava vencer os paraguaios por 3 x 0, no Mineirão, e venceu, classificando-se às quartas. A segunda foi na semifinal de 1991, quando o Clube carimbou o passaporte para a final contra o River Plate, para conquistar seu primeiro título da competição.

A semifinal da Supercopa de 1992 também foi contra o Olímpia. Diante de 83.636 torcedores no Gigante da Pampulha, o Cruzeiro classificou-se para a final contra o Racing, para garantir o bicampeonto. A quarta eliminação consecutiva veio em 1994, nas oitavas-de-final da Supercopa, com goleada por 4 a 0 no Mineirão.

Meses depois de conquistar a Copa Master, o Cruzeiro levantaria outro troféu internacional: a Copa Ouro, sobre o São Paulo, em disputa de pênaltis. Essa competição era disputada somente por campeões da Copa Conmebol, Copa Master, Recopa e Libertadores.

Extraído do site do Cruzeiro

1 comment

Anônimo disse...

Sérgio, tenho uma curiosidade. Quem era o treinador do Cruzeiro nesta competição? Algumas fontes afirmam Carlos Alberto Silva, mas acho que em 1995 ele já não era mais técnico do Cruzeiro. Talvez não é Jair Pereira?
Obrigado

Luca Gandini (Itália)

29 de julho de 2012 06:22